fbpx

Novelas menos vistas desde 2010

No horário das 21h da Globo
Babilônia, exibida em 2015. Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga pareciam surgir com uma história com poder de fogo capaz de elevá-la a um grande sucesso. No entanto, o público rejeitou diversos elementos da história de cara.
No horário das 19h
Geração Brasil de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira, exibida em 2014 mesclou enredo de novela com uma temática supostamente jovem, falando de tecnologia, informática e com um protagonista à la Steve Jobs, Jonas Marra (Murilo Benício), foi atrapalhada até pela Copa do Mundo FIFA de Futebol e fechou com média geral de 19,4 pontos. De maneira que isso faz dela a líder entre as novelas menos vistas do horário desde 2010.
No horário das 18h
Boogie Oogie do autor português, Rui Vilhena, exibida em agosto de 2014 que fechou em 17,4 pontos de média geral seguida de 17,8 pontos de Meu Pedacinho de Chão (2014), de Benedito Ruy Barbosa, e Espelho da Vida (2018/19), de Elizabeth Jhin.
No horário das 23h Empate técnico entre dois remakes entre as novelas menos vistas
Saramandaia e O Rebu registraram 15 pontos de média geral. Saramandaia foi escrita por Ricardo Linhares, com base no original de Dias Gomes de 1976. Por sua vez, O Rebu foi criada por Bráulio Pedroso em 1974 e recriada por George Moura e Sérgio Goldenberg.
Das temporadas de Malhação, a menos assistida desde 2010 foi Casa Cheia, exibida entre 2013 e 2014 e de autoria das escritoras Ana Maria e Patrícia Moretzsohn, mãe e filha. As irmãs Anita (Bianca Salgueiro) e Sofia (Hanna Romanazzi), filhas de Vera (Isabela Garcia) com seu ex-marido Caetano (Paulo Betti), formam um triângulo amoroso com Ben (Gabriel Falcão), brasileiro criado nos Estados Unidos.
Ainda entre as novelas menos vistas dos últimos anos, uma produção audaciosa da Record TV
Exibida em 2017, Belaventura reinaugurou um segundo horário de novelas na Record TV, depois de anos apostando apenas em um. Escrita por Gustavo Reiz, a história era ambientada na Idade Média, num reino que batizava o projeto. Em Belaventura, as intrigas palacianas e as dificuldades dos romances eram alinhavadas junto a um empenho de produção que embarcou na recente onda do tema. A novela fechou com 5,8 pontos de média geral.
Na década das histórias infantojuvenis no SBT, entre as novelas menos vistas está justamente uma direcionada aos adultos
Não é outra senão Corações Feridos (2012), escrita por Íris Abravanel a partir de um original de Caridad Bravo Adams.
A TV brasileira já havia conhecido duas versões da mesma história: Calúnia (1966), na TV Tupi, e A Mentira, mexicana exibida em 2000 pelo próprio SBT. Flávio Tolezani, Patrícia Barros, Cynthia Falabella e Victor Pecoraro foram os protagonistas da novela, que teve média geral de 4,6 pontos. Com quase nada a mais (4,7) ficou Amor e Revolução (2011), de Tiago Santiago. Graziella Schmitt, Cláudio Lins e Lúcia Veríssimo foram os atores principais da história, ambientada na época da ditadura militar.
Na Band, novelas turcas tiveram altos e baixos
Apesar de terem conquistado um público fiel, as novelas turcas da Band nunca chegaram a índices muito expressivos, entre um e dois pontos na maioria das ocasiões. Exibida por aqui em 2018 durante pouco mais três meses, Asas do Amor fechou com 1,4 de média geral. Minha Vida, exibida entre 2018 e 2019, registrou um pouco mais, 1,8. Todavia, não foi satisfatório para a emissora, que inclusive não apenas encerrou-a sem exibir a íntegra da novela, como também colocou em seu lugar uma produção portuguesa, Ouro Verde.

Receba as novidades

Inscreva-se e entraremos em contato com você

Atores e Modelos
Entre em contato
#SouFive

Clientes

Conheça alguns clientes Five

2020 © Desenvolvido com  por T4M | This is For Media